VOCÊ SABE O QUE É A SÍNDROME BURNOUT?



Janeiro branco é o mês dedicado à promoção da Saúde Mental.


VOCÊ SABE O QUE É A SÍNDROME BURNOUT?


O Burnout é um termo em inglês que significa “esgotamento”.

A Síndrome é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença ocupacional descrita como “estresse crônico de trabalho que não foi administrado com sucesso”. Em geral, se dá após exposição longa e prolongada à tensão, interferindo na qualidade do trabalho, saúde e vida pessoal.


Alguns estudos relacionam o desenvolvimento da Síndrome de Burnout a algumas profissões, entre elas os médicos, enfermeiros e policiais, que pelas características de trabalho, como atendimento ao público, atuação com constantes responsabilidades e pressão, os tornam possíveis de serem acometidos pela doença.


COMO IDENTIFICAR OS SINTOMAS DE BURNOUT?

Ela é caracterizada pelo aparecimento de sintomas físicos e psicológicos, sendo alguns deles:

- Cansaço constante e persistente - Dores de cabeça e pelo corpo - Distúrbios do sono e do apetite - Problemas gastrointestinais - Transtornos cardiorrespiratórios e disfunções sexuais - Alterações cognitivas (falta de memória, dificuldades de atenção e concentração, pensamento lento) - Irritabilidade e impaciência - Baixa autoestima e desânimo


Quando falamos do trabalho policial podem ser percebidos comportamentos relacionados à falta de interesse por assuntos relacionados ao tema de trabalho, agressividade e violência, assim como descaso e negligência no trato com a população atendida. Também sentimentos negativos relacionados ao seu trabalho, eficácia profissional reduzida, sensação de esgotamento, baixa percepção do sentido do seu trabalho, sensação de decepção com os demais colegas ou, ainda, baixa percepção sobre as possibilidades de realização profissional e utilidade do trabalho que realiza.


Por estar relacionada ao estresse, a síndrome pode ser facilmente confundida com depressão, mas há algumas características que o diferenciam e devem ser observadas:

- O esgotamento percebido tem relação com o trabalho - A exaustão emocional decorre da sensação de o profissional não estar “dando conta” das demandas de trabalho. - A despersonalização é também uma característica do Burnout e pode ser verificada pelo tratamento frio, cínico e com falta de empatia às pessoas.

Dessa forma, alguns policiais podem sentir um aumento relativo do descrédito em relação aos resultados do próprio trabalho, ou mesmo, da Instituição em que trabalha, por vezes levando a um comportamento distante, podendo ocasionar erros mais frequentes, negligência, baixa produtividade, resistências a toda e qualquer mudança sugerida.


COMO E ONDE BUSCAR AJUDA?

Caso sejam identificados sinais e sintomas possíveis de Burnout, procure o auxílio de um profissional capacitado para o diagnóstico e encaminhamento para tratamento. Este adoecimento tem a possibilidade de prevenção e tratamento em alguns níveis:


Individual - por meio da regularização de atividades físicas, autoconhecimento, psicoterapia, expressão de sentimentos e preocupações em um ambiente seguro, assim como atitudes positivas;

No contexto do trabalho - com políticas de saúde e valorização profissional, manejo e modificação de estressores do ambiente de trabalho.


No contexto social - com a percepção da representação social da profissão escolhida, e do papel da sociedade e da mídia na carreira.


Se você identificou alguns dos sintomas mencionados anteriormente no seu comportamento, saiba que o SINPOL-SC te oferece ajuda através do Projeto de Atendimento Psicológico Gratuito, Mente Tática. Agende uma consulta online ou presencial: SINPOL-SC | Projeto Mente Tática


Texto elaborado pelas psicólogas policiais civis catarinenses, Gabriela Chrestani e Lilian Cristina Schulze para campanha de Janeiro Branco de Saúde Mental.